29 dezembro 2015

04 janeiro 2014

Psoríase e o seu tratamento

A psoríase é uma doença inflamatória da pele, crónicas e que pode afetar as articulações. Não é contagiosa, mas pode haver uma predisposição genética para a desenvolver (n.b.p. cerca de um terço das pessoas afetadas com psoríase têm uma família). A psoríase afeta 2% da população, normalmente entre 15 e 35 anos, estando os homens mais predispostos a serem portadores do que as mulheres.

Manifesta-se através de irrupções cutâneas, normalmente avermelhadas e cobertas de escamas esbranquiçadas. Afeta sobretudo a pele, mas geralmente ocorre com mais frequência em áreas de articulações (cotovelos, joelhos, couro cabeludo), abdômen e costas. Em casos extremos, a psoríase pode produzir artrite.

Como em todas as doenças, existem diferentes estados de gravidade que vão desde a psoríase leve (localiza em algumas zonas do corpo) à artrite mutilante, que aparece em menos de 5% dos casos de pessoas com artrite psoriática e, normalmente, afeta pequenas articulações das mãos e dos pés.

Esta doença ocorre no início do sistema imunológico, afetando as células do sangue chamadas Linfócitos T. Estas células, que todos possuímos, ajudam a proteger o nosso corpo contra infeções e doenças. Porém, os psoriáticos têm Linfócitos T que não funcionam corretamente.

O facto dos Linfócitos T dilatarem os vasos sanguíneos da pele são a causa da cor avermelhada das lesões e da descamação exagerada que sofrem os doentes com psoríase. Os Linfócitos T defeituosos fazem a renovação celular que, deveria ocorrer em 30 dias, ocorra em cerca de 4 dias, provocando a acumulação das células na epiderme.

Tratamentos

Afortunadamente para nós, doentes com psoríase, há cada vez mais tratamentos para melhorar o nosso conforto, porém ainda não há uma cura completa. Como cada individuo tem um organismo diferente do outro, na psoríase e nas formas de tratamento também o são. Então cada um de nós, deverá tentar vários tratamentos para ver o que melhor funciona.

Substâncias de uso tópico: cremes, loções e pomadas a aplicar nas zonas afetadas;

Fototerapia: luz ultravioleta artificial (raios UVB) isoladamente ou em combinação com outros medicamentos orais ou injetáveis;

Outros fármacos de tipo oral ou injetável onde se incluem os imunossupressores (Ciclosporina) e os biológicos (Embrel, Infliximab), entre outros. Para mais detalhes sobre estes métodos um pouco mais agressivos deverão consultar o vosso dermatologista. A administração destes fármacos tem que ser aprovada pelo vosso dermatologista.

Suplementos Terapêuticos

Embora tenha mencionado que a psoríase não tem cura, estes podem ajudar a atenuar os sintomas para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

O sol, em geral, é extremamente benéfico para os doentes com psoríase embora haja aqueles que, como eu, nunca beneficiaram com a exposição solar. Neste sentido, os dermatologistas costumam aconselhar os seus pacientes a tomarem sol num determinado período do dia. Contudo, o protetor solar é também obrigatório nos doentes com psoríase para que estes não queimem a sua pele.

Óleo de Rosa Mosqueta

Encomendar o Óleo Virgem de Rosa Mosqueta 100mlFinalmente, é chegada à altura de vos falar do Óleo de Rosa Mosqueta. Este ajuda a acelerar a normalização da pele. Isso ocorre devido às altas propriedades regenerativas e hidratantes do óleo de rosa mosqueta. Mas, para ser eficaz, o paciente deve usar Óleo de Rosa Mosqueta 100% puro, prensado a frio, para manter todas as suas propriedades e vitaminas.

Para avaliar os resultados do tratamento com Óleo de Rosa Mosqueta deve ser consistente na sua aplicação e ser paciente. Os primeiros resultados costumam surgir cerca de um mês após o início da aplicação.

Além disso, é essencial que percebamos que o tratamento com Óleo de Rosa Mosqueta é um complemento ao tratamento médico, não um substituto.

Se quiserem saber mais sobre esse óleo e a sua aplicação podem entrar aqui.

18 novembro 2013

Como surgiu a nossa comunidade...

Tudo começou com o fim da comunidade brasileira de doentes com Psoríase de seu nome GAPIP. Tendo em conta o seu fim eu resolvi criar esta comunidade.

A nossa comunidade teve início a 23 de Março de 2007 com a criação de um grupo na primeira rede social de grande sucesso em Portugal que todos conheceram como Hi5 (hoje o Hi5 é Tagged que é bem diferente do original).

Mais tarde, a 20 de Fevereiro de 2008, resolvi criar este blog que ainda hoje mantenho devido ao facto dos grupos Hi5 se terem tornado a determinada altura mais limitados, perdendo a funcionalidade de envio de fotos.

No entretanto criei um fórum que acabou por não ter o sucesso esperado e nem o meu investimento pelo aparecimento das comunidades Ning.

Com as comunidades Ning, que durante muito tempo possuíram uma versão gratuita, interagi imenso com a comunidade de doentes com Psoríase e durante algum tempo o blog ficou um pouco de parte.

Depois houve um momento em que coloquei os posts do blog a surgir na comunidade através de feeds e com isso acabei por voltar a escrever no blog.

Em determinado momento criamos a nossa primeira página no Facebook. Depois o perfil do Twitter. A nossa primeira página no Facebook, por motivos muito difíceis de compreender, foi eliminada e consequentemente tivemos que criar outra que é aquela que hoje está no ar.

Pelo meio surgiu a criação da página no Sonico e da comunidade no Orkut.

Mais recentemente com o aparecimento do Google+ criamos a nossa página e a nossa comunidade que é onde temos procurado estar mais ativos apesar de, por motivos das ferramentas de partilha automática de posts, a página do Facebook ter um pouco mais de destaque.